segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

PARABÉNS PARA “A CHAMA”


Diz uma ditado popular que o número 7, significa a MENTIRA. Minha experiência com o dito cujo, foi no dia em que comemorei meus idos 7 anos de idade. À tardinha, me arrumei e fui toda prosa à Coletoria Estadual onde meu pai trabalhava, e vestida , num vestidinho vermelho, disse à ele ( como se ele não o soubesse): Papai, hoje faço 7 anos; e ele, olhando-me seriamente replicou: Então você não faz aniversário esse ano, pois este é o número da mentira. Fiquei decepcionada, pois esperava ganhar uns trocados para comprar um mimo qualquer. Papai, então, vendo minha decepção, colocou a mão no bolso , deu-me uns trocados e mandou-me comprar uma lata de goiabada, para comemorar. Puxa vida, pensei: fazer 7 anos não é nada bom, mas, fui comprar a tal lata de doce. Isso era por volta das 17,00hs. Quando cheguei em casa, fui acolhida com uma pequena festinha, com bolo, amiguinhos e família sorrindo maliciosamente. Foi uma comemoração simples, mas muito feliz, pois até então nunca tinha me ligado nessas comemorações ( também, há 70 anos atrás não era como hoje). E agora, olhando a comemoração da entrada no sétimo ano de nosso jornal diocesano do Apostolado da Oração, fico a imaginar. : São 7 anos de serviço à nossa Igreja nas esferas diocesana e paroquial. Quanta coisa boa esse informativo trouxe a todos nós do Apostolado da Oração e a nossas famílias. E mostra que o ditado acima citado, para ele não serve porque 7 para o A CHAMA é fonte de VERDADE. Estamos com uma tiragem de mais de 1.000 exemplares, à partir desta 2ª edição de 2011, teremos um colorido, e mais novidades. Crescer ainda mais. Cada vez mais. É assim que encaramos os 7 anos. Assim sendo, nossa coordenadora e idealizadora do A CHAMA continua sua luta ardorosa na busca constante e vibrante do crescimento de nossa associação em nossa diocese. Que o Coração de Jesus a fortaleça sempre.

Parabéns “A CHAMA”. Que o Sagrado Coração de Jesus continue abençoando sua trajetória, seus colaboradores quer com artigos, quer com donativos. Que possamos todos os anos comemorar seu aniversário com uma vitalidade cada vez mais crescente. Você, A CHAMA, evangeliza, noticia, ensina a orar, incentiva o lazer sadio, traz informações importantes para nossa jornada de cristãos e também nos traz segredinhos culinários de nossas (os) irmãs (ãos) associados. Você é muito importante para todos nós do Apostolado da Oração e sempre o esperamos chegar, com ansiedade. Mais uma vez, parabéns, felicidades e muitos e muitos anos de vida!!!!

Josele Machado Avellar





OPINÃO DO LEITOR SOBRE O A CHAMA



:O jornal A CHAMA , é um informativo muito útil , tanto para os membros do Apostolado da Oração, quanto para os nossos fiéis, .Como podemos observar seu conteúdo é bem variado e complexo. Estamos sempre procurando nos aperfeiçoar , a aprender novas coisas e com ele não é diferente .Ele nos chama a atenção devido as suas matérias,pois ao mesmo tempo em que envolve o Apostolado da Oração, consegue expandir o nosso conhecimento , pois não fala só do Aposto

ado, mas também de outros assuntos ,dos quais podemos tirar muitos proveito , para darmos uma palestra , uma explicação .,etc.

Lucia



A CHAMA é o nosso encontro com Jesus,em cada momento de nossa vida.

Todos os bimestres A CHAMA nos renova ,nos reune e nos faz sentir fortificados.

Receber A CHAMA nos dá forças para enfrentarmos todos os desafios.

Essa pequena Chama que chega em nossas casas ,incendeia toda a família que anda em desânimo lhes dá ânimo novo.

Leda



A CHAMA nos direciona para aquilo que devemos fazer enquanto membros do Apostolado da Oração.Ela nos incentiva,nos fortalece e não nos deixa esquecer que estamos sobre a doce proteção de Jesus.

Heloisa



Receber e ler A CHAMA nos faz sentir uma só família ,pois ela nos une e aquece.

Selma



TEMPO DE QUARESMA

irmãos e irmãs;

Estamos nos aproximando da grande e santa Quaresma. Quaresma é um tempo oportuno de mudança - Há momentos decisivos na nossa vida pessoal, acontecimentos que nos mostram quem somos, ajudando-nos a compreender melhor a nós mesmos e, consequentemente, a fazer mudanças em nossas vidas. Mudanças não só em nossas vidas diárias, mas também na nossa vida espiritual. Como “mudar”, nem sempre é fácil, às vezes somos tentados a desistir. Portanto, como podemos fazer isso?

Tudo o que Jesus viveu na terra era para nos ensinar. Olhamos para Ele quando, no final dos quarenta dias que passou no deserto, Ele rejeitou claramente as três tentações pois eram propostas que não serviam ao propósito de sua missão. A primeira tentação era uma provocação de provar que Ele realmente era o Filho de Deus. Jesus escolhe,  não se mostrar mas permitiu que Deus Pai o guiasse em conformidade com a sua vontade e confiou plenamente Nele. Sua reação tem a capacidade de nos mostrar que, ao resistir à astúcia do tentador nós nos tornamos mais fortes. Sua reação é um exemplo e nos mantém fundamentada na humildade sempre nos lembrando que somos devedores a Deus por tudo de bom que podemos realizar.

Nós temos a capacidade de segui-Lo, desta forma, se assim o quisermos. Durante este tempo Quaresmal, nós temos a oportunidade de reorientar e centralizar nossas vidas no que é essencial. Isto irá trazer-nos a dizer com o Apóstolo Paulo, " Mas o que era para mim lucro eu o tive como perda, por amor de Cristo. Mais ainda: tudo eu considero perda pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor. Por ele, eu perdi tudo e tudo tenho como esterco, para ganhar a Cristo "(Fl 3,7-8). Para corretamente acolhermos a Cristo Jesus, a Igreja propõe três estimadas práticas Quaresmais encontrada dentro da tradição cristã e bíblica - a oração, a esmola e o jejum.

Quaresma não é apenas um tempo oportuno em olharmos dentro de nós, mas, também um momento para dirigimos nossa atenção para os outros - para o Senhor, à criação e às pessoas. Não é simplesmente um momento para batemos em nosso próprio peito e sentirmos vergonha de nós mesmos por aquilo que fizemos diante do Senhor. É um momento de experimentar a misericórdia de Deus e sua compaixão. Deus é o foco da nossa atenção e podemos, a partir da nossa própria experiência, olhando para nós mesmos, encontrá-Lo. Encontramos esse Deus de amor e de perdão em nossas vidas e encontramos-O ativamente presente em nossas vidas e histórias nas historias das mesmas. Nós então devemos nos preparar para acompanhar Jesus Cristo quando Ele entra em sua paixão e morte, para que possamos também estarmos com Ele em sua glória.

As leituras das Missas durante o tempo da Quaresma falam da compaixão, de conversão e consolação. Perder o sentido do pecado é um estado lastimável. Quando perdemos essa sensibilidade de nossa necessidade de sermos perdoados, temos saudades de ser consolados pela misericórdia do Senhor. Quando somos incapazes de sentir o consolo amoroso de nosso Senhor depois de perceber que os nossos erros e pecados, então a experiência de humildade e de transparência torna-se uma realidade distante. Perder o sentido do pecado significa que perdemos o nosso apreço da nossa humanidade.

Na Quaresma, decidimos escolher a misericórdia de Deus. Na Quaresma, revivemos a nossa humanidade e vemos como Deus compartilha a sua divindade em nós. Na Quaresma, mais uma vez encontramos a fidelidade de Deus por nós em meio a nossas infidelidades a Ele.

"Ó Senhor, nosso Deus, ensina-nos a ser humildes e contritos. Mostre-nos o caminho da vida. Cura-nos da nossa fragilidade. Restaura-nos em sua amizade, para que possamos, mais uma vez sentir a sua presença amorosa. Amém ".

Uma abençoada Quaresma para todos.



Pe. Julipros “Julio” Ibarra Dolotallas, SVD



Nenhum comentário:

Postar um comentário